Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rir e Comer Bolachas

Da falta de tudo (que há em excesso)

Há uns tempos atrás o meu gajo perguntou-me se podia escrever uma coisa aqui no blog. Seria uma opinião, uma observação, algo do género, e eu acedi. E acabei por nunca escrever porque não me sentia inspirada (tenho andado assim ultimamente, até pensei em fechar o blog) mas hoje, embora não esteja inspirada, vou fazê-lo.

Queria ele que eu escrevesse sobre a falta de civismo das mulheres, nomeadamente nos transportes. Que olham descaradamente para o telemóvel na tentativa de ler o que ele escreve, ou recebe, que levam tudo atrás com malas enormes, que ocupam os lugares de qualquer forma sem se preocuparem com quem já lá está e se tem ou não espaço suficiente, que se atropelam entre si e a toda a gente. Mesmo sem ser nos transportes, na opinião dele as mulheres "estão piores que os homens", são atiradiças e vale tudo, até tirar olhos se preciso for.

Está escrito. Opinião registada.

 

Se penso de igual forma? Mais ou menos. Se ele deteta estas coisas em maior número nas mulheres é apenas porque as mulheres estão em maior número nos transportes públicos, por exemplo. Tem a ver com quantidade e não com o género feminino. Mas concordo que as pessoas, na sua maioria, estão a borrifar-se. Para os outros, para as regras, para a boa educação, para os bons costumes. Estão mais egoístas, mais comodistas. Só pensam em si, no seu próprio bem estar, e são incapazes de sair dos seus próprios umbigos e olhar o outro , nos olhos, e preocupar-se apenas e só com o outro. É visível no supermercado, no trânsito, no local de trabalho, às vezes até debaixo do mesmo. Na era da tecnologia que permite estreitar milhões de quilómetros, em que podemos falar em tempo real e com imagem com alguém que está no outro lado do mundo, vivemos cada vez mais ensimesmados, mais sós.
 Se calhar está na hora de fazer alguma coisa.