Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rir e Comer Bolachas

Se me apetecia não trabalhar?

Apetecia. Apetece-me sempre. 

Depois acordo, sei que me faz falta a ao meu País também, e vou. Porque é um privilégio, uma benção, uma fonte de rendimento, uma fonte de prazer, e porque outros dependem disso.

Não sei como está o resto do país, aqui à minha volta está tudo parado. Mesmo querendo trabalhar, alguns não podem. Isto é que é um carnaval!

Parece que é Carnaval

Uma hora de almoço passada a correr, num entra-e-sai-de-loja-sem-tempo-para-emborcar-um-café resultou em:

- calças pretas

- t-shirt de mangas compridas preta

- correntes para meter no bolso (trata-se de um colar mas vou disfarcá-lo)

- pulseiras com pregos, tachas e caveiras

- verniz preto (por empréstimo da sobrinha mais nova)

 

Agora só preciso de encontrar uma lata de spray para pintar o cabelo, com uma cor bem forte, abusar do eyeliner preto, e amanhã teremos um punk!{#emotions_dlg.ok}

 

Não me esqueci de nada, não?

Imagem retirada do Google

Diz que sim, que já chegou...

E pronto, cá está a loucura do Carnaval. Não é preciso exagerar, não é? Pronto, está bem... Tirando o choro que para aí vai de não haver tolerância de ponto ninguém deu pelo Carnaval. Ninguém a não ser os pais, claro, que têm que mandar as criancinha para os desfiles.

Eu, como péssimo exemplo a seguir, sempre detestei o carnaval e máscaras e tudo o que se relacione, e o meu filho, provavelmente por nunca ter sido estimulado nesse sentido, idem. Não faz questão de ser mascarado, passe-lhe ao lado estes dias, se puder, nem seque vai à escola em dia de desfile. Mas este ano roeu-me a consciência. Talvez devesse incentivar, assim se não gostar do carnaval já sei que não é minha responsabilidade, são escolhas.

Também não queria mascarar o miúdo de um boneco horrível, todo enfiado num fato coleante de um super-herói qualquer... Então lembrei-me que, no ano passado, a minha blogger favorita fez um trabalho excelente e lembrei-me de a imitar à descarada! Agora só falta perguntar se quer ir assim mascarado ou não, aposto que sim, e encontrar as coisas para o "artilhar".

Ah... e tomar um xanaxzito, que isto de transformar a criança num punk imberbe é coisa para me deixar com falta de ar, a pensar no quão velha estou a ficar!