Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rir e Comer Bolachas

Do azedume

Qual será a linha que separa o azedume de uma visão realista? Qual será a linha que separa a impaciência da intolerância a tudo?

Não me sinto mais "ácida" que o costume, muito menos "azeda" mas os reparos continuam a chegar, o que me leva a crer que o problema não é comportamental mas de semântica. Para a próxima vou pedir para definirem azedume. Considero alguém azedo quando, sem motivos aparentes, alguém critica por criticar ou é desagradável pelo prazer que lhe causa, sem que lhe tenha sido pedida opinião ou parecer. Não é, de todo, o meu caso. Eu já não tenho muita paciência para gente pequena, não tenho mesmo, mas não me parece que o problema seja meu, ou que tenha que mudar alguma coisa. Simplesmente, aquela pessoa (ou várias) deixa de fazer parte da minha vida e eu da dela. E não vem mal ao mundo. Mal tenho tempo para quem merece, quanto mais para quem não gosto...

Talvez o meu problema seja a crítica. Critico demasiado. Alto, pelo menos. Mais vale pensar e não dizer, que não incomodo ninguém. Isto posso mudar.

Doravante, se aquilo que penso não contribuir para uma melhoria de qualquer coisa, não digo. Ou dou uma resposta politicamente correta. Assim ficamos todos felizes. Não gosto nada que me chamem azeda quando são os outros que fazem asneira atrás de asneira.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.