Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rir e Comer Bolachas

Das surpresas boas

Esta semana tem sido puxada, quer a nível profissional, quer pessoal. Tenho saído do trabalho de rastos, a sentir-me cansada e a precisar de limpar a cabeça e, surpresa das surpresas, apetece-me andar na rua e caminhar. Na terça-feira fiz um percurso novo, de terra batida e corri uns 3 minutos, quando o percurso era a descer... Quando acabei a caminhada, até tinha a testa quente mas sentia-me bem, desanuviada. Meia hora depois ainda transpirava. Na quarta-feira de madrugada acordei com dores nas costas, fui trabalhar de sapatos rasos e doía-me tudo, até os braços e só andei com as pernas... Mesmo assim, ontem apetecia-me andar. Desanuviar. Respirar ar da rua e ver sol, e lá fui. Corri 1,5kms! A descer e a uma velocidade que quase não se pode chamar correr, era mais andar aos saltinhos, mas nunca tinha conseguido. Fiquei com a cara a arder de calor, parecia que ia explodir e fiz mais 2 kms a subir, por terra batida. Bolas! Estou orgulhosa. Continuo gorda, sim, mas estou mesmo orgulhosa.

Quando o meu adolescente chegou do treino contei-lhe o meu feito, a minha conquista, enquanto justificava porque me encolhia e fazia um esgar esquisito a sentar ou a levantar. A reação dele? "Ahahahahahahahah, és tão fraquinha, mãe!" A delicadeza de um adolescente é coisa para me surpreender sempre. Uma pessoa a sentir-se invencível e leva uma daquelas pela proa.

6 comentários

Comentar post