Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rir e Comer Bolachas

Sou uma ovelha tresmalhada

No seguimento do desafio de Destralhar a casa em 7 dias e do post de ontem, cá estou para vos contar o que motivou o intervalo.

Há bastante tempo que ando descontente com a sala, acho-a bonita e tudo mas não é funcional, não é prática. Por ser uma área maior que qualquer outra divisão e porque recebemos na sala de jantar as pessoas mais importantes - nós, as refeições fazem-se lá; o espaço está delimitado por um sofá mas são raros os dias que alguma coisa não anda para a frente e para trás ou para os lados para que consigamos passar ou caber.

Tinha/tenho alguns problemas que quero resolver e tornou-se ainda mais evidente quando pensei em destralhar, e porquê? Porque a tralha que estava à vista continua sem sítio certo e ando apenas a mudá-la de sítio... Não vale a pena tapar o sol com a peneira, é preciso uma análise profunda aquela divisão.

Posto isto, comecei por onde? Por pintar uma parede, obviamente. Não comecem já a atirar coisas, nem a chamar nomes, era uma coisa que gostava e nunca tive coragem, pronto. E dei comigo a pensar, o que terei a perder se não gostar ou se me cansar? Algum tempo e dinheiro, é certo, mas nada é assim tão grave ou definitivo que justifique não arriscar. Foi o que fiz.

Mostro-vos aquilo que será uma parede com riscas. Se correr tudo bem. Agora é apenas um espaço caótico, à espera de mais tinta e tempo.

 

Chamei-lhe intervalo porque quero realmente voltar ao projeto inicial, tenho que resolver umas questões antes, a saber:

- decidir o que fazer a várias toalhas de mesa, bordadas à mão que não tenho coragem para me fesfazer delas, seja dando ou vendendo - é uma questão emocional, (ou educacional, porque fui educada para valorizar e guardar o que me é dado)

- álbuns de fotos sem fotos e fotos por guardar

- louça que não é usada todos os dias mas sim em dias de festa, apesar de não fazer festas porque não cabe muita gente e estou na bancarrota

- livros e mais livros

- fotos para emoldurar sem moldura porque ainda não pude comprar

 

Mas continuo com o resto do destralhamento, ainda hoje venho cá mostrar. Haja tempo e boa-vontade.

Destralhar a casa - 2º Episódio (sem fotos)

Destralhar a casa de banho

 

Revelou-se muito rápido porque tinha feito uma coisa do género durante o fim de semana.

  1.  Na banheira tenho uma banheira (miniatura) transparente que alberga as coisas da gaja lá de casa, que são a larga maioria, e o resto fica ao lado nos azulejos no topo da banheira, que servem para esse efeito (tipo bancada).
  2.  As toalhas que lá estão penduradas num cabide de porta são as que estamos a utilizar, todas as outras estão arrumadas noutra divisão.
  3. Em cima do lavatório só está o copo das escovas de dentes e o sabonete líquido. No espelho por cima do lavatório, que tem uma prateleira, não está nada... O que dá imenso jeito para colocar os cremes de rosto, desmaquilhantes, maquilhagem, fazer sobrancelhas e afins quando necessito - quando não estão em uso, estão numa bolsa no armário ao lado.
  4. No armário (único) da casa de banho tenho toda a parafernália a uso nas prateleiras da seguinte forma: 1ª de cima tem toalhas de rosto a mais porque dá jeito (enrolar o cabelo, etc); as seguintes por morador, cada um com um cesto e respetivos acessórios. Onde tem porta ficam as restantes coisas pertencentes ao espaço - papel higiénico, alcóol, acetona, lâminas, etc.

Provavelmente, é o sítio mais organizado da casa. Estranho.

Destralhar a casa em 7 dias (by The Busy Woman and the Stripy Cat)

 

A fantástica ideia de fazer este desafio é da Rita do blog Busy Woman and the stripy cat e eu quero muito desafiar-me.

Antes que vocês digam que eu sou uma vergonha e que não cumpro nada do que prometo, tenho a dizer que já melhorei muito. Não tanto quanto gostaria, é certo, mas tenho vindo a educar-me. Para isso, procuro inspiração e motivação em quem sabe, em quem já conseguiu e continua (este blog é um excelente exemplo). Além disso, isto é uma aprendizagem, não é para se fazer mas sim, para ir fazendo - são mudanças a interiorizar e para adaptarmos a nós, à nossa realidade.

 

Ainda das promessas que não cumpro: isto não é uma ditadura. Estas mudanças servem para trazer bem-estar e não para ser mais uma frustração por não conseguir cumprir, criteriosamente, todos os prazos e/ou objectivos. Certo? Certo.:)

 

Então? Mais alguém alinha? Ninguém tem tralha acumulada? Roupas à espera de costureira, calças que já não servem mas que ainda temos esperança que em 2017 venha a servir? E 65892 velas que foram sendo oferecidas ao longo do tempo e nunca foram gastas, à espera de dias de festa? Ou copos para martini, como a CristinaS tinha a fazer peso num armário?

Depois cá venho contar o que aconteceu...

(Só não prometo que consiga destralhar o quarto do puto, mas tentarei)

Será que muda?

Parece que a residente Bolacha Maria resolveu mudar. Eu acho lindamente. Acho ainda melhor o facto de nos avisar, que os mais distraídos não davam por nada... A mudança dela parece a minha dieta: tens tantos atrasos de início e/ou atrasos que é difícil perceber! {#emotions_dlg.evil}

 

Esta história de mudar, de resoluções, tem muito que se lhe diga, há uns itens que não se podem descurar, sob pena de arruinar a mudança, ou nunca levá-la a cabo. Um deles é saber o motivo da mudança - parece óbvio mas não é tanto assim, muitas vezes mudamos pelo bem-estar de outros. Quando mudamos por nós, para nosso benefício, é mais fácil não ceder á vontade de deixar tudo "na mesma", é fácil lembrar que o que motivou a vontade não modificou. Outro, igualmente importante, é perceber os nossos limites e não esperar que uma mudança surja de imediato (exceção feita a coisas que necessitem de corte brusco, como deixar de fumar) e que alcancemos a perfeição. Não somos perfeitos. Ponto. Mas podemos e devemos melhorar, temos essa obrigação como seres humanos, e mais ainda como cristãs e católicas, que é o nosso (meu e da Bolacha) caso.

 

Posto isto, vamos esperar para ver como se dá a mudança, ou a tentativa de mudança. Porque hábitos são difíceis de mudar mas o pensamento... é muitíssimo mais complicado. Mas cá estarei para revirar os olhos e puxar-lhe as orelhas! Cof, cof.

Dia 11

Nº 11 do desafio

 

- Mimo

 

Porque a vida sem mimo não é a mesma coisa, quer seja a nós mesmos ou aos outros, um mimo faz toda a diferença. Não tira dores mas alivia, não faz desaparecer os problemas mas ajuda a relativizar, e massaja o ego, e traz calorzinho aos dias.

Ui ca bom!

 

 

Dia 4

Nº4 do Desafio

 

- Cor

 

Uma coisa de gaja, em todo o esplendor da sua futilidade... Cores: nas unhas das mãos, dos pés, em colares, pulseiras, uma camisola nova, ou um lenço, ou a agenda, uma caneta, sei lá! Uma coisa colorida traz sempre boa disposição.

Até em casa, seja em flores, quadros na parede, ou até em um tapete de cozinha, um apontamento de cor traz nova vida, é logo primavera! E por falar em primavera... E as cores da natureza? Uma imensidão de cores e tons diferentes ao nosso alcance, e passam tão despercebidos nas nossas correrias!

Dia 3

Nº 3 do Desafio

 

- Livros

 

Um livro é um atalho para outro mundo, outra realidade, outras pessoas, com outras histórias e perspectivas que não a nossa. Muitas vezes ensinam, outras questionam, emocionam, fazem-nos companhia, fazem-nos sonhar.

Quando quero descansar de mim, leio. Quando o cansaço é muito, e tenho que ler as mesmas frases duas e três vezes para sorver o significado por inteiro, páro e recomeço outro dia, porque só faz sentido se as palavras me agarrarem ao livro, fazendo esquecer tudo. 

Um bom livro é aquele que eu não consigo largar e tenho vontade de saltar páginas por não aguentar de curiosidade para saber o que vai acontecer.

Via Pinterest

Desafio

Este blog nasceu da vontade de mudar qualquer coisa. Era para ser um sítio onde pudessemos partilhar os nossos desafios, e que nos motivasse, ao mesmo tempo.

A Bolacha Maria está quase a terminar o dela, eu nem sei bem quantos são os desafios a que já me propus, só sei os resultados (vergonha!), de qualquer maneira, apetece-me criar um novo desafio (e mantê-lo):

 

30 formas de melhorar a vida em 30 dias (ao jeito de "1 por dia nem sabe o bem que lhe fazia")

 

Consiste em escrever aqui, com a regularidade de uma vez por dia, dizer uma coisa que me faz bem, melhora o meu humor ou a minha qualidade de vida. E pô-la em prática, obviamente.

Por falar em desafios...

Tenho um desafio para toda a gente, em especial para os/as caramelos/as que me aparecem aqui no estaminé a choramingar*:

 

24h SEM DIZER AS SEGUINTES PALAVRAS:

 

- CRISE

- DINHEIRO

- DIFICULDADES

 

 

*excluem-se pessoas a passar por sérios problemas financeiros e/ou pessoais, pelas quais tenho o maior respeito e não considero que "choraminguem. Aliás, estas pessoas nem sequer se queixam!