Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rir e Comer Bolachas

Eles andem aí...

Há dias, a descer uma serra perto de casa, atropelei um animal. Um grande animal, que não podia ser um cão, acho eu.

Venho descansada da vida, a conversar com o Dinis, e de repente, vindo do lado direito da serra, lança-se para frente do carro um animal, com muito pêlo, acastanhado e cheio de pó. Primeiro o estrondo do impacto contra o carro, depois só se ouvia o barulho dos travões, nada de uivos, nem qualquer som saía do bicho, e via o bicho a rebolar à frente do carro. Eu, que não tenho capacidade de reação de imediato, nem falei, só travei e olhei para o lado porque senti o miúdo a ser projetado para a frente, cabeça resvés ao tablier. Entretanto o bicho lá escapa, nem me perguntem como, e foge pela serra acima. Parei o carro onde foi possível, uns metros mais abaixo e vejo a chapa de matrícula toda torta e o pára-choques amassado...Um cão não fazia aquilo, e tinha ficado por baixo do carro. Aquele bicho era mais encorpado, conseguiu bater e sacudir-se.

Desde essa altura ando a rever estes segundos em slow-motion e a tentar descobrir que bicho era aquele até que agora me dizem, por outro assunto qualquer, que "andam por aí javalis". E adivinhem a quem tinha que calhar um...

A sério?!

Na mesma semana da polémica dos exames do 4º ano:

 

Ao telefone -

Eu - Blá, blá, blá, O S.

A menina - "O" de união e "S" de sapato, é isso?

Eu -  Errrr... Não, "O" de oliveira e "S" de sapato.

 

Hoje, recebo uma carta em nome de um advogado, creio que escrita pela secretária, onde vejo escrito "(...)sem qualquer EXITAÇÃO".

Eu tinha vergonha...

 

 

...

Há dias cheios de coincidências e parece que todas as coisas convergem para um determinado sítio e ontem foi um dia assim. Quando fui beber café depois de almoço, vi vários peregrinos a caminho de Fátima. Ia com a minha irmã e falámos acerca disso, que vimos centenas, estrada fora, de todas as idades e com um ar tranquilo, sereno, não fosse o cansaço e diria que estavam contentes. Num período tão conturbado parece que a Fé aumenta, ou aumenta a necessidade de Fé eacabei por andar toda a tarde a pensar sobre este assunto. Dificilmente faria uma coisa destas, acho que é de uma violência física enorme mas admiro profundamente quem o faz. Porque é preciso acreditar muito e eu não sei se acredito tanto. E tenho pena, porque sei que era uma pessoa muito melhor quando acreditava.

 

A minha Fé em Deus foi abalada pelas pessoas, o que nem sequer faz sentido, não é? Mas levo 34 anos de existência e sinto que já conto muitos mais, já sofri mais do que era necessário e já me desiludi muitíssimo e neste momento da minha vida não me apetece dar margem de manobra para mais sofrimento, ou seja, acredito que adquiri o direito a ser pior pessoa. Sim, eu sei, é confuso e um bocado parvo. Mas ser pior pessoa para os outros tem significado ser melhor pessoa para mim. Mas, atenção, não ando para aí a espezinhar ninguém, nem a prejudicar qualquer pessoa intencionalmente, mas deixei-me de certas atitudes que me incutiram como valores, como o Bem a fazer. E eu fazia-o. O problema é que esperava retorno, não como forma de pagamento, obviamente, mas esperava que as pessoas tivessem, de volta, o mesmo comportamento, a mesma dedicação, e não tiveram. Isso magoava-me muito, mas mesmo muito. Até que deixei de o fazer, e meter-me a mim em primeiro lugar. E os telefonemas pararam. E os convites para cafezinho também, tal como outras coisas. Doeu, claro que doeu, ninguém gosta de ser insignificante para as pessoas de quem gosta e em quem se investe os nossos sentimentos e tempo, mas percebi, finalmente, que as minhas relações eram unilaterais, fossem com grau de parentesco ou sem. Funcionam, se eu fizer por isso. E eu deixei de fazer a roda girar. E ela parou.

Vieram, então, as queixas "Ah e tal, eras uma pessoa melhor...", "Não eras assim" ou a melhor de todas "Sempre foi assim"... Pois. Ser sempre assim não faz com que esteja certo.

Da depressão

Acho que já trago bagagem suficiente para dizer duas ou três coisas acerca desta doença, apesar de não ser especialista. Eu própria descubro coisas acerca dela, ou de mim, de vez em quando.

 

- É uma doença. Parece simples, e redundante, mas não é. A maioria das pessoas continua a pensar que é um chilique. Não é, é uma doença e tem sintomas, muitos deles fisícos, alguns doem. É uma doença que acompanha que a tem, ou quem a teve, para o resto da vida porque deixa mezelas, deixa marcas e passa a fazer parte da nossa vida, da nossa história. Até pode ser como uma cicatriz, indolor e inofensiva, mas está lá.

 

- É necessária força de vontade para combatê-la mas não basta querer para melhorar, ou para superar de vez. É necessária ajuda profissional. No meu caso, de psiquiatria porque com psicologia não ia lá. Não me interessa saber o que provocou, o que aconteceu, o que motivou, interessa-me tratar os sintomas, aprender a viver com eles e sentir-me uma pessoa.

 

- Uma pessoa triste e desmotivada pode não sofrer de depressão, talvez esteja apenas triste e desmotivada e não doente, talvez esteja a viver um período conturbado. Toda a gente tem períodos de tristeza, faz parte da vida, tanto quanto ultrapassar esse período.

 

E é isto. Não é uma fraqueza, não é um chilique, não é por falta de vontade, nem de inteligencia, que existe. Não vai lá com raspanetes, nem com um jantar à luz de velas, ou um dia intensivo de compras com as amigas. Não se pode meter um penso rápido e dizer que já passa.

Dieta report, by Bolacha Maria #9

{#emotions_dlg.happy}Diz que foi o dia 22...

 

...Mas eu já me perdi um bocado com os dias, talvez porque não estou a seguir à risca o livro. De qualquer forma, o resultado no final da segunda semana é muito bom, perdi 2Kg  e alguns centimetros de abdomen.

Tenho consciência de que poderia ter feito melhor, mas não quis nem quero ser demasiado rigida, porque me conheço, conheço bem o meu corpo e sei que se fizesse isso, ao fim de duas semanas já tinha entrado em desespero e "marchava" tudo o que houvesse em casa... Assim, vai levar mais tempo, mas sei que chego lá.

Aliás, estou a pensar em continuar com a "Fase 2"  até perder todo o peso que necessito...

 

Agora é tempo de fazer algum exercicio. Vou optar pelas caminhadas, porque infelizmente o meu orçamento não permite pagar um ginásio, mas o importante é mexer o rabo e não ficar alapada no meu (confortável) sofá...

 

Dia 21 da dieta

Peso: 65,1 ( Menos 600 grs que há sete dias atrás) Achei pouquinho mas foi apenas uma semana, acho que estou a ficar demasiado exigente. É mellhor relaxar e não pensar muito nisto, afinal, há quatro anos que ando a aumentar de peso, por isso, tudo o que conseguir diminuir é muito bom.

Não me medi, não sei se houve alteração ou não. As sobrinhas garantem que estou "magra" (é a vantagem de estarem tão habituadas a ver-me gorda) mas eu já não consigo avaliar.

 

Até aqui tenho cumprido, rigorosamente, o que é pretendido mas não sigo as receitas do livro, ou as sugestões de lanches. Tirei aquilo que me é útil e vou adaptando ao que já tenho em casa e/ou pode ser adequado ao meu filho também, no entanto, agora começa a aborrecer-me as refeições que tenho feito e preciso de qualquer novidade para não perder a vontade: vou tentar seguir as receitas do livro, mesmo aquelas com ingredientes diferentes. O meu palato agradece.

E se?...

... Alguem te diz que és bonita, o que fazes? Ficas contente, agradeces e pareces um perú em véspera de Natal?...

Não.

Ficas sem jeito, não agradeces e ainda insistes em dizer que não, nunca foste, que disparate!..."Ainda mais agora que pareço a Popota"

 

Uma palavrinha para mim: Duuh!

Dieta report, by Bolacha Maria #8

{#emotions_dlg.sidemouth} Dia 18?...Já não sei bem, mas acho que é.

Perdi até agora 1.5kg. É pouco, já que em média as mulheres perdem entre 3 a 5Kg, mas perdi e é nisso que me foco :-)

Queria voltar a fzer exercicio, mas quantas mais horas tivesse o dia, mais eu trabalhava :-(

Mas isto vai! pelo menos nunca me senti tão determinada a perder peso, noutras dietas já há muito que teria desistido, numa de " perdido por cem, perdido por mil)

 

Ah, e PARABÉNS à Trocatintas!! 2kg e 300! É muito bom! e posso garantir que está a ficar (ainda mais)  jeitosa! ;-)

Num instantinho à pressa para dizer:

- Após 15 dias de dieta (deveria estar a meio mas vou prolongar a coisa...) o resultado foi MENOS 2,3 Kgs.

Foi excelente, dizem vocês. Pois foi. Mas eu agora fiquei gananciosa e queria mais é que isto desaparecesse num ápice... Pois, diz que demora mais um bocadinho. Mas a gente chega lá!

 

- A saga "Vizinhos" continua e vai-me enlouquecendo devagarinho. Ou nem tão devagar assim.

 

- O trabalho é muito, o tempo pouco e não chega para tudo.

Pág. 3/3