Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rir e Comer Bolachas

Confesso (ou Contagem com analepses, para compensar a quebra)

Não me lembro com o rigor que devia dos dias em que não deixei aqui o testemunho. Mas lembro-me de ter feito uma caminhada na quinta-feira, depois de ter apanhado uma bela molha na quarta-feira (durante a caminhada) e ter-me custado muito. Sentia o corpo a pedir caminha mas a preguiça é tão traiçoeira que não liguei... e na sexta estava de cama, com febre e com a sensação de ter sido mastigada e cuspida.

No sábado, domingo e ontem não houve caminhada para ninguém: o fim de semana foi caseiro e ontem o Dinis adoeceu. Cá em casa é assim - somos pela igualdade!

 

Se tenho cumprido?... Talvez a resposta correta seja não, porque há muitas exceções, falhas, ajustes, etc, no entanto, a resposta honesta é que sim, tenho. Claro que defendo a minha sardinha, mas sinto que, de facto, tenho cumprido. As manhãs são menos problemáticas (não digo que gosto de acordar cedo porque é mentira), os esquecimentos não têm acontecido (até porque tenho uma vida simples) e deixei de protelar (leia-se vagabundear pela net) no trabalho, e consequentemente, deixei de trabalhar sob pressão por falta de tempo.

 

Então, perguntam vocês, estás contente, certo? Certo. Mas podia estar mais. Tenho esperança que isto melhore um pouco quando se tornar rotina, é que, por enquanto, parece uma ditadura. Se calhar ser adulta é isto, ou ser mulher adulta... A mim parece-me difícil. E pouco interessante. Agora, por exemplo, tenho montes de coisas que me apetece vir para aqui escrever (que tanta falta me faz) mas se o fizer... Amanhã temos circo e não me apetece entrar nessa espiral de novo.

 

Hoje, dia 16, caminhada feita, missões cumpridas, casa arrumada e minimamente habitável e eu feita num oito, a desejar a caminha. Quero ler os blogs do costume, ver as "gordas" do Sapo, ler um bocadinho mas não dá! Caramba... Isto é o que uma mulher normal faz, qual é a minha dificuldade, então? Pois, não sei.

Pode ser apenas sono... Amanhã direi.

Constipação e ideias parvas de mãos dadas...

Passei o fim de semana numa das praias mais giras de Portugal: Santa Cruz e tive a brilhante (e inteligente) ideia de me alapar ao sol. Ora, tá-se memo a ver o resultado, certo? tenho para mim que me passou um cilindro pelo corpinho. E no meio da febre, pensei: "epá... eu gosto é do verão. Não gosto deste tempo assim-assim, que nem está frio nem está calor e nunca sei que porra de roupa hei-de vestir..... catita mesmo, era passar do Outono diretamente para a primavera"

 

e pronto, cá está: mais uma ideia parva que saiu desta cabecinha.

 

(agora que penso nisto, surgiu a duvida: estas ideias estarão diretamente relacionadas com a febre ou com os 45 anos acabadinhos de fazer?!...ó gaita, isto não está fácil..)

 

 

 

 

(Este blog é uma seca) Dia 9

Com tantas coisas giras para se dizer, não aparece aqui nada... Bem, a verdade é que não me ocorre nada para dizer a não ser que estou cansada e quero ir dormir. Mas exercito a minha capacidade de disciplina e cá venho relatar o dia. Pode ser que isto anime, vá.

 

7h30 - despertador tocou e saí da cama, sem apelo nem agravo. Já de pé, olhei para a cama e pensei "E se fosse enroscar-me só dois minutos?". Antes de me responder fui pesar-me. Acordei que foi uma beleza. Ninguém se lembrou mas um despertador devia dizer o peso em vez do Trrriiiimmm, sempre era mais eficaz!

 

Não sei como mas consegui atrasar-me... Tanto tempo dá nisso, em vez de mexer as mãos e os pés, dá-me para "pastelar". No entanto, toda a gente chegou a horas. Não perdi tempo com blogues ou com outra coisa qualquer, foi trabalhar non-stop e saí mais tarde do quer era suposto. Mas fui caminhar: 3,5 Kms, um tempo miserável mas cansei-me bastante. E havia uma subida ou outra. Descidas também.

 

Agora vou dormir. A cozinha está arrumada. A roupa que se lixe meta na fila.

Dia 8

Caramba, que hohe foi um dia bom!

7h30 despertador toca e eu levantei-me de imediato. Despachei o miúdo, tomei duche, tomei o pequeno almoço, meti a sopa (que ficou a arrefecer durante a noite) no frigorífico e saímos. Sem pressa. Sem chinfrim. Nem esquecimentos. Uuuhu!

O dia de trabalho foi de trabalho, sem distrações, sem adiar, sem procrastinar, sem ver as "notícias do dia". Leia-se ler blogues.

Não fiz metade do que queria mas vou dormir sem culpas - portei-me bem hoje.:)

Amanhã (re)começa o exercício físico.

Dia 5, 6 e 7

Feriado. Acordei quando acordei sem despertador. Levantei-me de imediato. O resto foi descanso.

Sábado - Uma enxaqueca daquelas que até a claridade do computador feria os olhos. O meu lado hipocondríaco entrou em ação e imaginei todo o tipo de cenário/diagnóstico.

Domingo - Enxaqueca + dor de costas + a p""" da velhice! Não há pachorra para tanta dor.

Dia 3 e 4

Estes dois dias quase não se separaram... Deitei-me tarde, acordei tarde e trabalhei que nem uma parva todo o dia. Eu não devo ser muito normal. Ou inteligente... No dia 3 "agarrei o touro pelos cornos" e mandei-me a uma tarefa (que odeio!) qua andava a adiar desde que fui de férias. Só larguei na quinta-feira uma horas depois do meu horário de trabalho ter acabado. E não foi fácil desligar ou descomprimir.

Já não sobrou energia para mais nada.

Dia 3 - Até agora

Arrastei-me para fora da cama, não houve stress matinal, cheguei a horas e o miúdo também.

Tenho a agenda aberta.

Tenho muito sono.

Estive a tratar de assuntos pessoais e já gastei tempo em entretenimento pessoal... Agora vou entrar em modo profissional e tratar dos piores, sem adiar.

Afinal ainda vou dizer outra coisa

(Amanhã posso sempre dizer que foi do sono...)

Uma mudança, para resultar, não tem que ser progressiva! Pode ser mas não tem que ser, certo? Tenho 33 anos, ou 34 ou lá o que é, e não consegui até agora com falinhas mansas e "amanhã" será melhor...

Deixar de fumar, por exemplo - alguém conseguiu deixar de fumar a reduzir progressivamente? Eu não. Reduzia uns dias, lá está, e depois esquecia-me.

Alguém consegue comer um quadradinho de chocolate quando se é louco por ele? Um de cada vez não conta como um por dia. Ou reduzir na quantidade de comida... numa festa e em dieta? Ou acabar uma relação e ficarmos muito amigos? Naõ. Tem que haver cortes radicais, quebras, senão o hábito leva a melhor.

Deixei de fumar quando disse "Este é o último que fumo e não volto a sentir um cigarro na boca!" e custou! Mas teve que ser e consegui!

 

Pronto, vou dormir.

Dia 2

Comecei pelo título a escrever este post. "Dia 3 - Devem estar a brincar comigo!"... Não, espera, hoje é o segundo dia, embora pareça que acordei ontem e não esta manhã! Sinto-me como se tivesse sido atropelada por um comboio e não são sintomas de gripe, é cansaço puro e duro. De quê é que eu gostava de saber... Mas vamos ao brilhante e promissor início, já que dormi horas suficientes para meter este corpinho na linha:

 

07h30 - O despertador toca e eu penso: Nãããoo pode ser. Não pode! A minha vontade é atirá-lo janela fora e sinto uma neura tão grande que me levanto de repente, desligo, e enfio-me nos lençóis em menos de 3 segundos, qual ninja! Já deitada, o meu lado sensato lembra-se de ir acordar o Dinis. Que, descubro de seguida, sai à mãe. Oh karma!!! Não basta a preguiça para complicar a vida?

O resto é mais do mesmo. É só ler o dia 1 e verificar como isto não está a dar resultado. Com a agravante do dia ter corrido mal. Tudo o que podia dar para o torto, deu mesmo.

 

O único exercício de motivação e/ou força de vontade que fiz foi escrever o relato, que se quer diário. E ir dormir agora. A cair de sono! Mas cheia de pena porque tinha coisas para dizer, coisas para ver, enfim...