Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rir e Comer Bolachas

Pensamentos parvos (consequentes da privação de sono) que a Bolacha tem

Depois de um casamento longo (uma duzia de anos é bastante, não é?!) esteve sete anos sozinha. Sozinha, que é como diz, com as filhas, que enquanto foram pequenas e davam trabalho, eram só da mãe, mas isso são contas de outros rosários que para este caso, não interessam nada!

Ora, durante sete anos, a Bolacha teve várias fases: a do viver tudo o que não tinha vivido na altura certa enquanto jovem adulta, a fase (estupida, muito estupida) de esperar a perfeição e a maravilha das maravilhas de uma relação que não tinha rigorosamente nada para dar, e finalmente a fase mais catita: estar sozinha e gostar. Foi nesta fase que o Bolacho lhe caiu na sopa. E caiu muito bem, nada a apontar sobre isso.

 

Mas, às vezes penso: e se o Bolacho não tivesse aparecido?... Como seria a minha vida hoje?... Melhor? Pior?... Estaria sozinha? Teria continuado a estudar (quando conheci o Bolacho, andava a estudar à noite)? Teria tido mais filhos? Estaria a viver na mesma terra? Teria continuado com um "corpinho Danone" (depois de casar com o Bolacho engordei 14 kilos {#emotions_dlg.sarcastic})?

 

Estar há varias noites sem dormir, ou neste caso a dormir 4 horas por noite, não dá bom resultado!...{#emotions_dlg.sleeping}

1 comentário

Comentar post